Advertisements

Alergia à Maçã

Advertisements

Conteúdo

Uma maçã por dia mantém o médico longe, um ditado que tem significado desde tempos imemoriais. É evidente que a maçã é carregada de benefícios para a saúde. Apesar de suas vantagens, se sentir uma sensação de formigamento dentro e ao redor da boca depois de comer maçã, pode ser um caso de alergia à maçã. Uma porcentagem muito pequena de pessoas é afetada pela alergia à maçã.

Advertisements

O QUE É ALERGIA À MAÇÃ?

A alergia à maçã é uma das formas mais comuns de síndrome de alergia oral (OAS) ou síndrome do pólen alimentar (PFS). As proteínas encontradas nas maçãs cruas são bastante semelhantes às encontradas no pólen de artemísia (uma espécie de erva daninha) e pólen de bétula. Durante a estação de polinização, quando a contagem de pólen é alta, a alergia à maçã está no auge com o pior tipo de sintomas. Em outras palavras, a alergia à maçã pode ser denominada como uma alergia associada à alergia ao pólen.

CAUSAS

Como a maioria das outras alergias alimentares, a alergia à maçã é uma resposta do sistema imunológico. É uma reação de hipersensibilidade que ocorre a partir de proteínas brutas. O mesmo tipo de reação não persiste quando as maçãs são consumidas na forma cozida ou processada devido à inativação de alérgenos. A alergia à maçã é causada principalmente devido a reações cruzadas de pólen com alimentos. É uma alergia sazonal que ocorre em pessoas com febre do feno e pessoas com alergia ao pólen. O sistema imunológico produz anticorpos contra as proteínas brutas encontradas nas maçãs e desencadeia reações alérgicas no corpo.

SINTOMAS DE ALERGIA À MAÇÃ

Os sintomas da alergia à maçã são generalizados e podem ocorrer poucos minutos após a ingestão de maçã crua. Esses sintomas são citados abaixo categoricamente:

Sintomas orais

  1. Sensação de formigamento ou coceira dentro e ao redor dos lábios, boca e garganta
  2. Formação de saliências levantadas dentro da boca

Sintomas de pele

  1. Coceira da pele
  2. Vermelhidão da pele
  3. Pele irregular ou escamosa
  4. Urticária
  5. Inchaço da pele, rosto e pálpebras
  6. Uma sensação de sensibilidade ou dor nas áreas de erupção cutânea
  7. Erupção de vergões
  8. Colisões na pele
  9. Extremo inchaço das pálpebras levando ao fechamento dos olhos

Problemas respiratórios

  1. Inflamação do tecido do trato respiratório
  2. Dificuldade em engolir devido ao inchaço na garganta levando a problemas respiratórios
  3. Inflamação da membrana mucosa obstruindo as vias aéreas
  4. Nariz escorrendo ou entupido
  5. Falta de ar

Problemas de digestão

  1. Dor abdominal
  2. Náusea ou vômito
  3. Diarréia

Condições de emergência

  1. Reação de anafilaxia grave
  2. Pulso fraco ou acelerado
  3. tontura
  4. Anormalidade na fala
  5. Perda de consciência

FATORES DE RISCO

Os fatores que colocam um indivíduo em risco de desenvolver alergia à maçã são discutidos abaixo:

Alergia a pólen

Pessoas com alergia ao pólen são suscetíveis à alergia à maçã devido à semelhança das proteínas do pólen de bétula e da artemísia com as proteínas da maçã crua.

Sofredores de febre do feno

Pessoas com febre do feno são consideradas em risco de desenvolver alergia às proteínas da maçã crua devido à interferência semelhante do sistema imunológico em ambos os casos.

Localização geográfica

A alergia à maçã coloca as pessoas da região do Mediterrâneo em risco devido à prevalência de hipersensibilidade à proteína de transferência de lipídios (LTP).

Jejum

O jejum desempenha um papel significativo na expressão da alergia em pessoas com hipersensibilidade à LTP porque o alérgeno é absorvido rapidamente quando o trato gastrointestinal está vazio.

Alergias associadas à alergia à maçã

Como a alergia à maçã é um tipo de síndrome alimentar do pólen, as pessoas com alergia ao pólen de bétula também podem sofrer das alergias associadas à maçã, como alergias a avelãs, pêssegos, kiwi, cenoura, nectarina, pera, cereja, aipo, ameixa e soja.

Pessoas com alergia ao pólen de artemísia e alergia à maçã podem sofrer de alergias a castanhas, cenouras, aipo, avelãs e melões.

COMPLICAÇÕES

Embora a alergia à maçã geralmente não cause sintomas graves, casos raros experimentam o início de reações de anafilaxia com risco de vida. A anafilaxia pode ser complicada em termos de manejo e tratamento. Um paciente com anafilaxia deve estar sob um regime rigoroso aconselhado pelo alergista para gerenciar a alergia de maneira adequada e ficar longe das complicações abruptas.

TRATAMENTO DA ALERGIA À MAÇÃ

Sintomas menores como coceira, inchaço e erupções cutâneas podem ser tratados com anti-histamínicos de venda livre. Após colocar um paciente com síndrome de alergia oral em dosagens de anti-histamínicos, é importante monitorar o paciente pelo menos nas próximas horas para garantir que não haja desenvolvimento de sintomas mais graves.

Sintomas graves de anafilaxia são tratados com a ajuda de imunoterapia ou injeções de epinefrina. EpiPen, um auto-injetor de epinefrina, deve ser transportado pelas pessoas propensas a reações anafiláticas. Dependendo da gravidade da reação alérgica, é determinado por um alergista se o paciente deve fazer imunoterapia ou injeções de epinefrina.

Além de medicamentos, o tratamento preventivo é evitar a ingestão de maçãs cruas. Se o alergista pedir a um paciente que evite também a forma processada de maçãs, ele deve evitá-las.

MUDANÇAS NA DIETA E CAUTELA

A dieta de eliminação, ou seja, uma dieta sem maçãs cruas é obrigatória para um paciente com alergia à maçã. Deve-se ter cuidado se o alergista pedir a um indivíduo que evite a maçã de qualquer forma. A leitura dos rótulos dos alimentos deve ser um hábito. Perguntar aos funcionários do restaurante ou do hotel sobre os ingredientes de frutas envolvidos em qualquer preparação deve ser inevitavelmente trazido ao hábito para garantir que a terapia da dieta de eliminação seja seguida rigorosamente. No caso de outras alergias associadas envolvendo frutas, essas frutas também devem ser evitadas após uma consulta com o alergista. Durante a época de polinização, um paciente alérgico à maçã deve ter um cuidado redobrado, pois a contagem de pólen é muito alta e faz com que as pessoas sofram devido ao agravamento dos sintomas da alergia.

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *