Advertisements

O que é pancreatite necrosante e como ela é tratada?

Advertisements

Conteúdo

O pâncreas é um órgão glandular localizado no lado direito do abdômen, logo atrás do estômago. Os alimentos que você consome são convertidos em energia para as células do corpo por meio da ação do pâncreas.

Advertisements

Este órgão libera certas enzimas e hormônios que desempenham papéis importantes no processo digestivo, bem como na regulação do açúcar no sangue. Essas secreções pancreáticas podem ser liberadas na corrente sanguínea ou em outros dutos. Por exemplo, as células pancreáticas produzem insulina, que entra no sangue diretamente para controlar os níveis de glicose.

No entanto, as enzimas digestivas produzidas no pâncreas são liberadas no intestino delgado, onde se tornam ativas e começam a quebrar os componentes dos alimentos.

Se essas enzimas digestivas se tornarem ativas no próprio pâncreas, elas podem danificar as células pancreáticas.

O que é pancreatite necrosante?

A pancreatite ocorre quando, em vez da liberação normal de enzimas do pâncreas para o intestino, ocorre um bloqueio ou processo fisiológico que leva à liberação dessas enzimas dentro dos próprios dutos pancreáticos, causando irritação nas células pancreáticas normais.

A ação corrosiva dessas enzimas no tecido pancreático desencadeia uma inflamação, que é conhecida como pancreatite. A pancreatite necrosante ocorre quando esse processo inflamatório resulta na morte das células do pâncreas.

A pancreatite pode ser crônica ou aguda. A pancreatite aguda é caracterizada pelo início súbito da inflamação pancreática, que geralmente se resolve em alguns dias ou semanas, mas a pancreatite crônica é mais prolongada.

A pancreatite necrosante é um subtipo grave de pancreatite aguda e está relacionada a altas taxas de morbidade e mortalidade.

Prevalência de pancreatite necrotizante

A pancreatite pode afetar pessoas de todas as idades, mas é mais prevalente em homens do que em mulheres. A incidência desta doença está aumentando globalmente, principalmente nos Estados Unidos.

Na verdade, a pancreatite aguda surgiu como a causa gastrointestinal mais comum de hospitalização nos Estados Unidos, com quase 270.000 internações a cada ano.

A maioria dos casos de pancreatite aguda é autorresolvente e manifesta sintomas leves, raramente com complicações em longo prazo. No entanto, 15% a 25% dos casos podem piorar e resultar em morte celular (necrose) ou infecção, desencadeando complicações graves em cerca de 10% a 30% dos pacientes. (1)

Qual é a gravidade da pancreatite necrosante?

A pancreatite necrosante é motivo de preocupação, pois a importante função do pâncreas de digerir os alimentos e liberar hormônios pode ser prejudicada devido ao processo inflamatório e à morte celular dentro do pâncreas.

Principais causas da pancreatite necrosante

Mais de 90% dos casos de pancreatite resultam de cálculos biliares, principalmente em países desenvolvidos. (2) Os cálculos biliares também são os principais responsáveis ​​pela pancreatite necrosante .

Outras causas menos comuns de pancreatite incluem:

  • Anormalidades metabólicas, como fibrose cística e hiperlipidemia
  • Doenças autoimunes
  • Certos medicamentos
  • Toxinas crônicas relacionadas ao comportamento, como alcoolismo e tabagismo
  • Cirurgias da vesícula biliar

Sintomas comuns de pancreatite necrotizante

Os sintomas de pancreatite necrosante podem incluir:

  • Dor abdominal aguda intensa, que pode irradiar para as costas e pode ser aliviada curvando-se para a frente em uma posição do joelho no peito
  • Febre
  • Abdômen distendido ou inchado
  • Nausea e vomito

A pancreatite necrosante exige a retenção da ingestão oral de alimentos e líquidos, o que pode causar:

  • Desidratação e pressão arterial baixa
  • Taxa de pulso rápida
  • Abdômen sensível ao toque

Se houver hemorragia no pâncreas, outros sinais, como o sinal de Gray Turner (hematoma no flanco) e o sinal de Cullen (hematoma periumbilical), podem ser vistos.

Tratamento médico para pancreatite necrosante

O tratamento para pancreatite necrosante envolve as seguintes etapas:

  1. Tratamento da pancreatite subjacente
  2. Tratamento do tecido pancreático morto / infectado
  3. Tratando a sepse

A maioria dos casos de pancreatite necrosante justifica um tratamento conservador que se concentra principalmente em:

  • Medidas de cuidados de suporte para tornar a condição suportável, incluindo assistência nutricional e controle da dor
  • Prevenindo novas infecções de necrose do tecido pancreático
  • Prevenindo outras complicações

O tratamento padrão da pancreatite inclui:

  • Repouso intestinal
  • Manter o paciente em NPO (nada per os), o que essencialmente significa não consumir nada pela boca (alimentos e líquidos)
  • Administração de fluidos IV
  • Administração de antibióticos, se houver suspeita de infecção
  • Administração de medicação para dor

Se essas medidas preliminares não conseguirem controlar ou reverter a necrose pancreática, métodos mais invasivos, como a cirurgia, são necessários para remover o tecido pancreático morto.

A cirurgia geralmente começa com a drenagem dos fluidos do pâncreas por meio de um cateter, seguida por uma necrosectomia endoscópica para extrair o tecido danificado. A cirurgia torna-se ainda mais necessária se o tecido necrótico infeccionar.

Por que os médicos adiam o tratamento da pancreatite necrosante até um estágio posterior?

As intervenções de tratamento têm uma taxa de sucesso mais alta e uma chance melhor de evitar complicações quando administradas em um estágio posterior da doença.

O tratamento tardio é preferido na maioria dos casos de pancreatite necrosante, desde que a condição do paciente seja estável e os sintomas sejam razoavelmente controláveis.

O médico iniciará o tratamento alguns dias após o surgimento dos sintomas, para que a doença fique mais claramente definida. Mas o tratamento de emergência pode ser necessário se o paciente ficar extremamente doente, de forma que os sintomas se tornem insuportáveis.

Diagnosticando Pancreatite

A pancreatite aguda é mais fácil de diagnosticar do que a pancreatite crônica. A pancreatite crônica se instala de forma mais gradual e com sintomas mais leves.

O processo de diagnóstico envolve basicamente:

  • Perguntar sobre os sinais e sintomas do paciente
  • Revisão do histórico médico do paciente
  • Exame físico
  • Testes de laboratório, normalmente um exame de sangue, para determinar o nível de certas enzimas digestivas liberadas pelo pâncreas
  • Testes de imagem, para determinar a presença e extensão da necrose pancreática ou morte do tecido pancreático

A pancreatite necrosante pode ser diagnosticada por meio de estudos laboratoriais que demonstram elevação nas enzimas pancreáticas (amilase ou lipase) e modalidades de imagem, incluindo tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassom e colangiopancreatografia endoscópica retrógrada (CPRE).

Prevenção da pancreatite necrosante

O tratamento em estágio inicial da pancreatite pode evitar que ela se agrave para uma forma mais grave e agressiva da doença, que pode induzir a necrose pancreática ou a morte do tecido pancreático. Se você lidar bem com a condição desde o início, é menos provável que ela cause complicações, como pancreatite necrosante, mais tarde.

Qualquer pessoa com diagnóstico de pancreatite aguda ou crônica corre o risco de desenvolver necrose pancreática. Portanto, se você tem pancreatite, deve se familiarizar com os sinais de morte do tecido pancreático para detectá-la e tratá-la precocemente.

Consulte o seu médico imediatamente para o tratamento necessário para conter a propagação da necrose. No entanto, há pouco que você pode fazer para prevenir a pancreatite que está enraizada em problemas genéticos, como a fibrose cística.

Pessoas com diagnóstico de pancreatite são rotineiramente recomendadas as seguintes medidas para prevenir a necrose pancreática:

  • Perdendo peso
  • Manter uma dieta com baixo teor de gordura
  • Evitar álcool e fumar
  • Beber muitos líquidos

Pessoas em risco de pancreatite necrosante

Há uma maior incidência de necrose pancreática na pancreatite aguda do que na pancreatite crônica.

Assim, as pessoas que sofrem de inflamação súbita, mas temporária, no pâncreas têm maior probabilidade de sofrer de pancreatite necrosante do que aquelas que sofrem de inflamação pancreática de longa duração.

Outros fatores que podem aumentar o risco de desenvolver pancreatite necrosante incluem:

  • Se você sofre de cálculos biliares ou tem histórico familiar de cálculos biliares, que podem bloquear o fluxo de enzimas digestivas
  • Se você é obeso, já que se sabe que o excesso de gordura corporal agrava a gravidade da pancreatite aguda e, portanto, causa necrose pancreática (3)
  • Se você consumir quantidades excessivas de álcool, o que é considerado uma das causas mais comuns de pancreatite (4)
  • Se você é fumante, pois esse hábito pode aumentar o risco de câncer de pâncreas em pessoas com pancreatite (5)

Possíveis complicações da pancreatite necrosante

A pancreatite necrosante pode levar às seguintes complicações:

1. Infecção

A complicação mais comum associada à pancreatite necrosante é a infecção. O tecido pancreático morto pode convidar ao supercrescimento bacteriano, geralmente 2–3 semanas após o primeiro sinal de necrose pancreática.

2. Sepse

Se a infecção não for controlada ou tratada, ela pode se espalhar para a corrente sanguínea e resultar em uma condição potencialmente fatal chamada sepse.

A sepse é muito mais ameaçadora quando ocorre simultaneamente com a pancreatite. A entrada da bactéria na corrente sanguínea pode colocar todo o seu corpo em choque e inibir o fluxo sanguíneo para os principais órgãos.

O sangue fornece oxigênio e nutrientes aos órgãos vitais, mantendo-os saudáveis ​​e funcionando. Na ausência de suprimento sanguíneo adequado, esses órgãos tornam-se suscetíveis a danos temporários ou permanentes.

Em alguns casos, o dano pode ser tão grave que leva à falência completa do órgão ou morte. Outras complicações menos fatais associadas à pancreatite necrosante incluem:

  • Insuficiência pancreática endócrina e exócrina
  • Fístulas
  • Sangramento (1)

Quando consultar um médico

Você deve ser visto para um exame pessoal se tiver sintomas de dor abdominal intensa e para avaliação de rotina por um médico de família e especialista em gastrointestinal para pancreatite atualmente diagnosticada.

Palavra final

A inflamação do pâncreas pode levar a complicações significativas, incluindo câncer, se não controlada. Quando a pancreatite aguda se torna pancreatite necrosante, o tratamento invasivo (cirurgia) torna-se mais provável.

Se você sofre de pancreatite, deve estar atento à sua saúde e monitorar cálculos biliares, hiperlipidemia e diabetes. Faça uma dieta com baixo teor de gordura, beba muitos líquidos e tome suplementos de enzimas pancreáticas conforme necessário.

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *