Advertisements

Sintomas de alergia à caseína, causa, tratamento e alimentos a serem evitados

Advertisements

Conteúdo

A caseína é uma proteína encontrada no leite e produtos lácteos. É o alérgeno mais frequentemente reconhecido, abundante no leite de vaca. Em indivíduos com alergia à caseína, o sistema imunológico identifica a caseína como uma ameaça ou substância nociva e, em seguida, desencadeia uma reação para combatê-la. Isso causa a liberação de uma substância química chamada ‘histamina’ que leva a reações alérgicas adversas no corpo. A alergia à caseína é completamente diferente da intolerância à lactose. A intolerância à lactose é uma condição na qual o corpo é incapaz de produzir a enzima digestora de lactose ‘lactase’. Portanto, não se deve confundir entre uma alergia causada pelas proteínas do leite e uma intolerância ao leite.

Advertisements

CAUSAS DA ALERGIA À CASEÍNA

Uma resposta anormal do sistema imunológico do corpo contra leite e produtos lácteos dá origem a sintomas alérgicos. O sistema imunológico do corpo fica confuso e considera a caseína um alérgeno. Isso desencadeia uma resposta alérgica e é mais comum entre bebês e crianças pequenas. Além disso, causa desequilíbrios entre as células Th1 e Th2, o que tem um impacto negativo na saúde.

Alguns estudos descobriram que o contato precoce de bebês com a proteína do leite de vaca, como a caseína, pode levar à hipersensibilidade. Portanto, 6 meses de aleitamento materno exclusivo é recomendado para mães lactantes. No entanto, mais estudos e pesquisas são necessários para confirmar o efeito da caseína na saúde humana.

A proteína caseína é responsável por 80% das proteínas totais do leite. Esta fração de caseína consiste em 4 proteínas diferentes, que incluem:

  • αS1-caseína
  • αS2-caseína
  • β-caseína
  • κ-caseína

Das 4 frações de proteínas mencionadas acima, a αS1-caseína é o alérgeno mais importante da alergia à caseína.

SINTOMAS DE ALERGIA À CASEÍNA

Os sintomas podem aparecer dentro de 1 a 2 horas após a ingestão de leite e derivados e afetam a pele, o sistema respiratório, o sistema gastrointestinal e podem aparecer como reações anafiláticas sistêmicas em casos graves.

Reações da Pele:

As reações mediadas por imunoglobulina E que afetam a pele podem causar:

  • Erupções cutâneas
  • Vermelhidão
  • Lavagem
  • Prurido, comichão na pele
  • Angioedema, inchaço da pele
  • Urticária ou urticária

Sintomas respiratórios:

Os sintomas respiratórios que ocorrem após a ingestão de caseína incluem:

  • Chiado
  • Tosse
  • Rinoconjuntivite
  • Edema de laringe
  • Agravamento da asma

Sintomas gastrointestinais:

A alergia à caseína também afeta o trato gastrointestinal. Os sintomas incluem:

  • Dor abdominal ou dor de estômago
  • Náusea
  • coceira oral
  • Vômito
  • Diarréia ou fezes moles

Anafilaxia:

A anafilaxia é uma condição com risco de vida e o leite de vaca é o terceiro componente alimentar mais comum depois de nozes e amendoim que causam reações anafiláticas. Os sintomas incluem:

  • Pulso rápido
  • Perda de consciência
  • Pressão sanguínea baixa
  • Falta de ar

DIAGNÓSTICO E TESTES DE ALERGIA À CASEÍNA

História Clínica:

Um histórico médico específico ajuda no diagnóstico da alergia. Informe o seu médico sobre a ingestão de leite e produtos lácteos. Explique-lhe os sintomas que você observou e diga-lhe depois de quanto tempo os sintomas apareceram quando você consumiu leite ou produtos lácteos. Informe o seu médico se você experimentou isso pela primeira vez ou já aconteceu antes. Informe o seu médico sobre o histórico de alergias alimentares de sua família, se houver. No caso de lactentes, informar ao médico se o leite de vaca foi introduzido precocemente na dieta do lactente.

Após uma história clínica completa, são realizados testes diagnósticos, que ajudam a confirmar ou descartar a alergia à caseína.

Teste de desafio alimentar oral:

O teste de provocação alimentar oral é realizado para obter um diagnóstico claro. Durante este teste, seu alergista o alimentará com alimentos contendo caseína, por exemplo, leite, em doses medidas. O alergista começará com uma dose muito pequena e procurará sinais de reações ou sintomas de alergia. Se houver sinais e sintomas, o teste é interrompido e a alergia é confirmada. Se os sintomas não existirem, a quantidade de alimentos é aumentada. Se não houver sintomas até o final do procedimento, seu alergista descartará alergia à caseína.

Teste de picada na pele:

Neste teste, seu alergista pica ou coça a pele com a ajuda de uma lanceta. Extrato de leite de vaca ou leite fresco ou alérgeno é colocado no local da picada. Se os anticorpos da imunoglobulina E estiverem presentes no corpo contra a caseína, pode aparecer vermelhidão ou uma protuberância na pele. A presença de vermelhidão ou inchaço confirma a alergia à caseína.

Teste de Atopia:

Este teste pode ser realizado em indivíduos com dermatite atópica, sintomas gastrointestinais e indivíduos com reações tardias após o consumo de produtos contendo caseína. Durante este teste, os alérgenos são aplicados nas costas de um indivíduo por até 48 horas em um adesivo selado. As reações cutâneas são documentadas após a remoção dos adesivos, após mais 24 a 48 horas. Na segunda consulta, que ocorre 2 dias depois, os adesivos serão removidos. O verso é marcado com um marcador adequado para identificar os locais de teste. As costas são verificadas durante a terceira consulta, que ocorre após 2 dias. A presença de erupções cutâneas, reações semelhantes a queimaduras, placas vermelhas ou úlceras indica um teste de alergia positivo.

Teste de sangue:

A presença de alta quantidade de imunoglobulina E no sangue indica que você tem uma alergia. ( 1 )

FATORES DE RISCO

  • Indivíduos com história familiar de alergia à caseína
  • Introdução precoce do leite de vaca na dieta do lactente

TRATAMENTO DA ALERGIA À CASEÍNA

Anti-histamínicos:

Os anti-histamínicos são medicamentos que bloqueiam a ação de uma substância química chamada “histamina”, responsável pelos sintomas alérgicos. Esses medicamentos ajudam a aliviar os sintomas alérgicos, como espirros, corrimento nasal e rinite alérgica.

Injeção de epinefrina:

A injeção de epinefrina é útil quando os sintomas se tornam graves ou durante a anafilaxia. É usado para tratar reações alérgicas com risco de vida.

CUIDADO

  • Evite leite e produtos lácteos, como queijo, paneer, coalhada e leitelho
  • Leia atentamente os rótulos dos alimentos antes de comprar qualquer produto. Não compre alimentos que contenham até mesmo vestígios de leite
  • Alguns produtos alimentares contêm leite na forma oculta, por exemplo, pães. Tais produtos alimentares também devem ser evitados
  • Antes de pedir qualquer prato no restaurante, pergunte aos funcionários sobre os ingredientes utilizados. Conte a eles sobre sua alergia para que eles possam ter um cuidado extra e isso também os ajudará a sugerir preparações alimentares que não contenham caseína
  • Substitua o leite de vaca por opções de leite sem caseína, como leite de soja, leite de coco, leite de arroz e leite de amêndoa
  • Substitua a manteiga e o ghee puro por óleo de cozinha não refinado

LISTA DE ALIMENTOS A EVITAR

Abaixo mencionado é uma lista de alimentos que contêm caseína:

  • Leite de vaca
  • Iogurte
  • Soro de leite coalhado
  • Creme
  • Queijo
  • Chocolates
  • Bolos
  • Pães
  • Biscoitos e biscoitos
  • Pudim
  • Creme
  • Sorvete
  • Sopas à base de creme
  • Manteiga
  • ghee puro
  • Proteína em pó

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *