Advertisements

Dieta para Osteoartrite – Diretrizes Alimentares e Nutricionais

Advertisements

Conteúdo

A osteoartrite é uma condição crônica que afeta as articulações. Nas articulações normais, a extremidade de cada osso é coberta com um material de borracha firme, que é chamado de ‘cartilagem’. Esta cartilagem atua como uma almofada entre os ossos e permite um movimento articular suave. No entanto, em caso de osteoartrite, há uma ruptura da cartilagem, tornando a cartilagem áspera e fina. Isso causa ainda mais dor, inflamação, vermelhidão, inchaço e movimento restrito. À medida que a condição se deteriora, a borda da articulação pode crescer para fora e levar à formação de esporões chamados osteófitos. A sinóvia é uma fina camada de tecido que reveste o espaço articular e pode produzir excesso de líquido sinovial, fazendo com que as articulações inchem.

Advertisements

Em casos extremamente graves, a cartilagem pode ficar tão fina que não será capaz de cobrir as extremidades dos ossos. Durante este período, os ossos podem se esfregar quando o movimento ocorre, levando a uma dor insuportável e sintomas mais graves. A osteoartrite pode afetar qualquer articulação, mas geralmente ocorre no dedão do pé, base do polegar, pequenas articulações dos dedos, região lombar e pescoço, quadris e joelhos.

SINTOMAS DE OSTEOARTRITE

Dor: A intensidade da dor aumenta com a gravidade da condição. A cada movimento de sua articulação, essa dor tende a piorar. Por exemplo – subir escadas torna-se extremamente difícil para uma pessoa com osteoartrite do joelho.

Movimento restrito: a ruptura da cartilagem afeta a flexibilidade das articulações. Assim, o movimento torna-se difícil. Um pode não ser capaz de mover sua articulação livremente.

Rigidez: Após um período de descanso ou inatividade, as articulações podem ficar rígidas. Em casos normais, pode-se mover facilmente mesmo após um período de repouso, mas em caso de osteoartrite pode-se levar algum tempo para se mover. Essa rigidez geralmente é observada quando a pessoa acorda pela manhã após descansar por 6 a 8 horas.

Esporões ósseos : Os esporões ósseos são projeções ósseas que podem se desenvolver ao redor da articulação afetada e parecem nódulos duros.

Sensações de ralar: sons ou sensações de estalo e crepitação podem ser ouvidos ou sentidos cada vez que a articulação afetada é movida.

FATORES DE RISCO

Obesidade: A obesidade é um dos fatores de risco mais evitáveis ​​para a osteoartrite. A pesquisa encontrou uma associação forte e positiva entre o índice de massa corporal (IMC) e a osteoartrite do joelho, quadril e mão. A obesidade pode aumentar a carga biomecânica e está associada a alterações na marcha (maneira de andar de uma pessoa). A obesidade também está associada ao alinhamento alterado dos membros, o que leva à osteoartrite.

Idade: Um dos maiores fatores de risco para a osteoartrite é a ‘idade’, na verdade a osteoartrite também é conhecida como um distúrbio relacionado à idade. Com o aumento da idade, as alterações no sistema musculoesquelético também aumentam. Com a idade avançada, podem ocorrer alterações fora da articulação, como perda de músculo, bem como dentro da articulação, como alterações nas células e na matriz (substância extracelular do osso) nos tecidos articulares.

Gênero: A incidência de osteoporose é maior em mulheres do que em homens. Além disso, as mulheres correm maior risco de desenvolver osteoartrite de joelho, quadril e mão. Além disso, a pesquisa mostrou que o risco de desenvolver osteoartrite em mulheres aumenta em 3,5 vezes durante a menopausa. Isso pode ser devido a algumas alterações hormonais, mas não há evidências fortes a partir de agora.

Genética: Fatores genéticos são fortes determinantes da osteoartrite. A influência genética da osteoartrite é de 35% a 65%. Além disso, a incidência de osteoartrite é maior em um indivíduo com história familiar de osteoartrite em comparação com aqueles que não têm história familiar.

Lesão articular: A lesão articular é uma causa comum de osteoartrite em indivíduos jovens. A participação em esportes pode aumentar o risco de lesões articulares e pode levar a uma síndrome clínica chamada degeneração articular iniciada por trauma que leva a dor e disfunção articular permanente e progressiva. O diagnóstico imediato, o tratamento adequado e certos exercícios podem reduzir as lesões articulares e o risco de osteoartrite pós-traumática.

Anormalidades articulares: A presença de anormalidades articulares desde o nascimento da criança ou o desenvolvimento de tais anormalidades na infância pode levar à osteoartrite precoce.

TESTE E DIAGNÓSTICO

Exame Físico: Seu médico pode examinar as articulações quanto a inchaço, rigidez, sensibilidade, dor e vermelhidão. O médico pode ainda testar a amplitude de movimento da articulação afetada.

Raios-X: O raio-X pode revelar a presença de um espaço estreito entre os ossos nas articulações. Também pode revelar a presença de esporões ósseos ao redor das articulações.

Imagem por Ressonância Magnética (RM): Em comparação com os raios X, a RM fornece uma imagem melhor do osso e da cartilagem.

Exames de sangue: exames de sangue não são necessários e podem não ser necessários para confirmar o diagnóstico, mas são necessários para descartar outras possíveis causas.

MANEJO DIETÉTICO E NUTRICIONAL DA OSTEOARTRITE

Perda de peso

Estar acima do peso ou obeso é um fator de risco importante para a osteoporose. O aumento do peso corporal coloca um estresse adicional nas articulações que suportam peso. Portanto, torna-se muito importante perder peso para reduzir o risco de osteoporose. Uma dieta saudável de baixa caloria e exercícios regulares (após consultar um médico) certamente promoverão a perda de peso e reduzirão a incidência de osteoporose.

Leia mais sobre Perder peso: Dieta para perda de peso

Aumentar a ingestão de frutas e legumes

Diferentes frutas e vegetais são carregados com diferentes antioxidantes, por isso torna-se importante incluir essas diferentes frutas e vegetais na dieta diária. Eles reduzem a inflamação e combatem o estresse oxidativo. Inclua pelo menos 2 a 3 porções de frutas frescas e 3 a 4 porções de vegetais por dia.

Adicionar proteína de soja

A suplementação de uma dieta com proteína de soja demonstrou reduzir os sintomas associados à osteoartrite, como amplitude de movimento, melhor flexibilidade, melhora nos movimentos, redução de vários fatores associados à dor e, assim, melhora da qualidade de vida geral. Alimentos ricos em proteína de soja incluem:

  1. tofu
  2. Pedaços de soja
  3. Nozes de soja
  4. Soja
  5. Leite de soja
  6. A proteína de soja em pó também pode ser adicionada à dieta.

Aumente sua ingestão de vitamina E

A pesquisa mostrou que a vitamina E pode desempenhar um papel importante na proteção contra danos adicionais causados ​​na osteoartrite. O estresse oxidativo pode desempenhar um papel importante na degeneração da cartilagem relacionada à osteoartrite. A vitamina E é um potente antioxidante que elimina as espécies reativas de oxigênio e regula os sistemas de enzimas antioxidantes. Isso reduz o estresse oxidativo e evita uma maior deterioração das articulações. Assim, a vitamina E é um remédio eficaz para reduzir a deterioração mediada por radicais livres dos tecidos musculoesqueléticos na osteoartrite. Fontes alimentares ricas em vitamina E incluem:

  1. Germe do trigo
  2. Sementes de girassol
  3. Amêndoas
  4. Amendoim
  5. Abacate
  6. Espinafre
  7. Mostarda verde
  8. Folhas de beterraba
  9. acelga

Obtenha mais vitamina D

A pesquisa mostrou que a vitamina D pode desempenhar um papel pequeno, mas benéfico na osteoartrite. A ingestão de vitamina D reduz a dor no joelho em indivíduos com osteoartrite do joelho. Evidências sugerem ainda que a deficiência de vitamina D pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento da osteoartrite do joelho. A vitamina D também pode melhorar a incapacidade funcional. Durante os meses de verão, obter vitamina D da luz solar torna-se mais fácil. No entanto, é importante manter um equilíbrio de vitamina D, obtendo-o através da luz solar e da dieta. Alimentos ricos em vitamina D incluem:

  1. Cogumelo shiitake.
  2. Brilho do sol.

Adicione mais vitamina K à sua dieta

A má ingestão de vitamina K é muito comum. Estudos mostraram que baixos níveis de vitamina K no plasma estão associados ao aumento do risco de osteoartrite da mão e do joelho. Portanto, para diminuir a incidência de osteoartrite deve-se consumir mais vitamina K através da dieta. Alimentos ricos em vitamina K incluem:

  1. Espinafre
  2. Mostarda verde
  3. Folhas de beterraba
  4. Couve
  5. acelga
  6. Nabos
  7. Brócolis
  8. Couves de Bruxelas

Adicione ácidos graxos ômega-3 à sua dieta

O ácido graxo ômega-3 pode reduzir os marcadores de inflamação e, assim, reduzir a dor e melhorar a flexibilidade. Assim, pode-se reduzir os sintomas relacionados à osteoartrite adicionando pelo menos 2 porções de peixe por semana em sua dieta. Fontes ricas de ácidos graxos ômega-3 incluem:

  1. Sementes de linhaça
  2. nozes
  3. Sementes de cânhamo
  4. Sementes de chia

Aumentar a ingestão de vitamina C

A vitamina C é um poderoso antioxidante que elimina os radicais livres e reduz o estresse oxidativo. Além disso, a vitamina C também é necessária para a produção de cartilagem e tecido conjuntivo. Assim, a vitamina C pode ajudar a reduzir alguns danos causados ​​pela osteoartrite. Alimentos ricos em vitamina C incluem:

  1. kiwi
  2. laranja
  3. Toranja
  4. Bagas
  5. Limão
  6. Brócolis
  7. Repolho
  8. pimentões
  9. Mamão
  10. Salsinha

EXEMPLO DE PLANO DE MENU PARA OSTEOARTRITE

Horário das refeições Cardápio Razão por trás
Café da manhã 1 xícara de chá de ervas/chá verde/chá de gengibre + 1 tigela de mingau feito com água (aveia/trigo/cevada) OU 2 fatias de pão integral ou multigrãos com homus vegetal As ervas são ricas em antioxidantes e, portanto, ajudam a aliviar a dor.
Meio da manhã 1 fruta inteira + 4 amêndoas Prefira frutas inteiras ao invés de suco de frutas
Almoço 1 tigela de salada com 1 colher de chá de sementes de girassol + 1 tigela pequena de tofu/ soja/ leguminosa + 1 porção de cereais integrais (arroz ou chapatti) As sementes de girassol são uma boa fonte de vitamina E e gordura saudável. Inclua mais produtos de soja, se possível
Meio da noite Nozes de soja (um punhado)
Tarde 1 tigela de sopa de legumes ou 1 copo de suco de legumes (sem coar) Suco de vegetais e sopa de vegetais não coados são boas fontes de antioxidantes e uma maneira saborosa de adicionar vegetais em sua dieta diária.
Jantar 1 tigela de salada com 1 colher de chá de sementes de linhaça e molho de limão + 1 tigela pequena de tofu / soja / leguminosa + 1 porção de cereais integrais (arroz ou chapatti) Inclua mais vegetais verdes na salada. O molho de limão melhorará o teor de vitamina C de sua dieta.

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *